BNCC e as competências socioemocionais

Muito se discute sobre a BNCC, as socioemocionais e os desafios de implementá-las. Mas você sabe como elas se relacionam?

Foto da escritora e educadora Michele Azevedo

Por Michele Azevedo – escritora, educadora e pós graduada em Psicopedagogia, Arte na Educação e Educação Especial

Há algum tempo, as competências socioemocionais e a BNCC são temas recorrentes no mundo da educação. Nesse texto você entenderá um pouco mais sobre elas e como se relacionam para iniciar ou aprofundar esse trabalho com seu corpo docente, estudantes e famílias.

icone demonstrando cogniçao e sociemocional - um cérebro e eum coraçao jutnos

Em um momento de mudanças estruturantes na educação, podemos nos perder sobre o que priorizar ou como relacionar temas tão relevantes e necessários para a melhoria da qualidade do processo de aprendizagem. Nesse sentido, esse texto lhe auxiliará a relacionar a educação socioemocional ao que diz a BNCC, respaldando o desenvolvimento dessas competências na escola.

A pauta da BNCC

Ao longo dos últimos dois anos, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) se tornou pauta de grandes debates e discussões relacionadas à educação brasileira. A documentação teve homologação pelo Ministério da Educação (MEC), abrangendo educação infantil, fundamental e ensino médio.

Essa documentação é importantíssima para uma educação de qualidade. É ela quem gera o direcionamento dos currículos escolares, observando sempre a garantia dos direitos de aprendizagem mínimos que os alunos precisam ter. A nova base, portanto, conta, hoje, com diretriz organizacional de metas de aprendizagem, fazendo a inclusão das competências socioemocionais.

Habilidades socioemocionais: Qual a importância para a educação?

A atenção às habilidades não cognitivas aumentou nos últimos anos, depois do reconhecimento de que características comportamentais e associadas à forma de administrar as próprias emoções impactam no aprendizado dos estudantes. Além do aspecto pedagógico, elas também influenciam fortemente na vida das pessoas de uma maneira geral.

Faz-se a constatação, atualmente, de que muitos profissionais são contratados pelas habilidades cognitivas, e recebem suas demissões por falta de habilidades socioemocionais.

Essa abordagem de habilidades com foco em educação emocional é essencial para a promoção do pensamento dos alunos com autonomia, bem como visando suas potencialidades. A consequência disso é a redução de indisciplina e a melhoria do desempenho acadêmico.

Fundo roxo com baloes e koala da  KUAU segurando um cartaz que diz: material gratuito: baixe agora.

A BNCC e seus impactos na proposta pedagógica

A base dessa documentação oficial preza pela orientação curricular das escolas brasileiras, tanto de redes públicas quanto particulares. Ela faz a apresentação de conhecimentos prioritários, habilidades e demais competências que se almeja aos estudantes de cada fase da educação básica.

É válido o destaque de que a BNCC não têm a pretensão de ser um currículo, mas uma documentação que observa orientar a construção curricular pedagógica. Além disso, inclui a abertura de particularidades regionais, sociais e metodologias de cada escola.

BNCC e as 10 competencias gerais

As 10 competências gerais da BNCC estão profundamente permeadas pela educação socioemocional.

As competências da BNCC

A BNCC tem formulação em 10 competências gerais como estrutura para ser um norte ao ensino básico brasileiro. Há também um forte destaque quanto à temática da inteligência emocional. Dentre as principais competências que permeiam a construção de proposta pedagógica das escolas estão:

  • usar e valorizar os conhecimentos construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade e colaborar para uma sociedade justa, democrática e inclusiva;
  • exercer a curiosidade intelectual e utilizar a abordagem própria das várias ciências, com o intuito de promover elaboração de hipóteses e criar soluções (inclusive tecnológicas);
  • desenvolver o senso estético, observando valorização e reconhecimento das manifestações culturais e artísticas;
  • usar o conhecimento das linguagens artística, multimodal, científica, matemática, digital e tecnológica;
  • fazer uso das tecnologias digitais de informação e de comunicação de modo significativo, crítico, reflexivo e ético;
  • compreender as relações do mundo profissional e tomadas de decisões com alinhamento ao projeto de vida pessoal, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade;
  • argumentar sempre baseando-se em informações, dados e fatos de confiança para defender ou questionar pontos de vistas e decisões;
  • conhecer e reconhecer emoções próprias, bem como as dos outros, sendo capaz de lidar com elas e com pressão de grupo;
  • exercer o diálogo, empatia, cooperação e saber resolver conflitos, promovendo sempre o respeito à diversidade;
  • ação pessoal e coletiva com responsabilidade, de forma autônoma, resiliente, flexível e determinante.

Essas habilidades são importantes porque prezam pelo respeito à formação de cidadãos capazes de resolver problemas, trabalhar em equipe, argumentando, defendendo pontos de vista, respeitando o outro e sendo cada vez mais observadores e críticos – de si mesmos e do mundo ao redor.

Macrocompetencias que englobam as socioemocionais no Projeto de Vida da KUAU
Contar sua história e seus planos de vida, refletir sobre seu papel no mundo para criar e realizar seus planos são metacompetências que preconizam o desenvolvimento das socioemocionais. O Programa de Projeto de Vida da KUAU auxilia a escola e o professor a conduzir isso em sala de aula – seja física ou remotamente.

Como elas melhoram a educação?

A insegurança é, de fato, um dos principais problemas que atingem os alunos brasileiros, de acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Conforme a pesquisa da organização, a conclusão é a de que os estudantes do Brasil figuram entre o público com maior ansiedade do mundo. Isso interfere fielmente nas práticas pedagógicas e o nível de inovação escolar.

E isso traz à tona a relevância das denominadas competências socioemocionais, que têm apontamento como primordiais à formação integral dos estudantes. As competências fazem a cobrança das cinco áreas:

  • autoconhecimento;
  • autocontrole;
  • automotivação;
  • empatia e
  • habilidades de relacionamento.

Essas áreas, por conseguinte, relacionam-se à comunicação, criatividade, curiosidade e criticidade – que são habilidades responsáveis por produzir inovação e conseguem preparar o aluno aos desafios do século XXI.

Esse documento faz um reforço em relação ao desenvolvimento cognitivo, atrelado às competências socioemocionais que devem ser aprendizagens fundamentais nas salas de aulas. Conforme a abordagem, os alunos trabalham suas competências socioemocionais com:

  • Autoconsciência – identificando as emoções, dispondo de uma percepção afiada, reconhecendo os pontos fortes, desenvolvendo autoconfiança e autoeficácia;
  • Consciência social – sabendo observar as coisas em perspectiva, desenvolvendo empatia, apreciando diversidade e respeitando os outros;
  • Autogestão – controlar impulsos, sabendo lidar com estresse, tendo disciplina, automotivação, buscando objetivos, construindo habilidades organizacionais;
  • Habilidades de relacionamento – sabendo se comunicar, encontrando engajamento social, construindo relações e sabendo trabalhar em grupo;
  • Tomada de decisão responsável – identificando problemas, analisando e avaliando situações, bem como solucionando problemas, refletindo e tendo responsabilidade ética.
Competencias socioemocionais descritas na BNCC

Segundo relatório do Global Education Leader’s Program Brasil, quando, de fato, aplicadas nas escolas, as competências socioemocionais tem o potencial de promover a geração de impactos positivos em diversas esferas da vida de um estudante na interface com o mundo à sua volta:

Na aprendizagem:

conseguem gerar um ambiente que favorece o aprendizado, melhorando os resultados disciplinares curriculares;

No desenvolvimento integral:

conseguem preparar os alunos para se encontrar no mundo, compreendendo as diferenças, sendo críticos e atuantes para tomadas de decisões com ética. Auxiliam na construção do projeto de vida e capacitação para o mundo profissional;

Na promoção de equidade:

estão aptos ao diálogo com as necessidades da sociedade civil, mobilizando famílias e contemplando anseios, suprindo carências de oportunidades e gerando impacto nos indicadores sociais;

Na mudança cultural:

são capazes de transformar o currículo e a escola, estimulando a atitude cidadã, contribuindo para o desenvolvimento de uma cultura pacífica.

É bastante relevante lembrar que a ideia da BNCC não é a transformação das competências em componentes de currículo, mas articulá-las junto ao aprendizado das áreas de conhecimento.

Como adequar as competências socioemocionais à sua escola?

Da mesma forma como o processo de aprendizagem, há a necessidade de que o ensino das habilidades socioemocionais tenha implementação em fases. Portanto, dê início pela adequação curricular e, paralelamente, pela formação de professores. Por conseguinte, faça a revisão das matrizes de análise e, ao final, adeque o material didático.

A BNCC é um pontapé inicial importantíssimo para que a educação brasileira seja mais qualitativa. Ela promove o estabelecimento de um marco para desenvolver o social, orientando a composição das propostas pedagógicas. Sua escola está preparada para esse processo de transição?

O Programa da KUAU prevê o desenvolvimento das competências socioemocionais enquanto auxilia o aluno na construção de seu Projeto de Vida

Inovação e criação de metodologias para que o aluno seja protagonista e capaz de construir seu Projeto de Vida é um dos objetivos da KUAU. A nossa proposta aborda o desenvolvimento socioemocional a partir de mentoring, ensino híbrido e aprendizagem ativa. Estudantes, pais e educadores podem acompanhar o desenvolvimento a partir dos recursos didáticos disponíveis.

ícone que representa um aplicativo de celular com vídeos
  • diário de bordo do aluno – para ser acessado pelo aplicativo de celular;
ícone que representa um diário
  • diário da família – para engajar a família no desenvolvimento dos estudantes; 
ícone que representa relatórios de gestão escolar
  • plataforma de gestão – para educadores acompanharem e intervir pedagogicamente de forma responsiva.
Para saber como aplicar de forma simples e efetiva cada uma dessas 5 competências em suas aulas, confira a nossa série sobre Aprendizagem Socioemocional no Youtube!
Balao e bandeirinha da KUAU com o escrito Saiba mais
Clique no botão acima para conversarmos sobre como podemos auxiliar sua escola!

Inscreva-se em nossa newsletter




banner animado que mostra sobre o Projeto de Vida na escola e suas 3 dimensões, na abordagem da KUAU: Quem eu sou, Quem eu quero ser e Qual o meu papel no mundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *