Autonomia e participação cidadã dos adolescentes

Nossa conversa sobre Protagonismo Juvenil em tempos difíceis abordou sobre a parceria transformadora entre escola e família

Por Marina Damasceno, educadora e gerente de relacionamento na Kuau.

Queridos educadores, nosso primeiro encontro online foi excelente! Aprofundamos o entendimento sobre Protagonismo Juvenil e Projeto de Vida com duas convidadas mais que especiais. Resumo aqui os principais tópicos.

Bandeirinha de acordo com a identidade visual da Kuau, em que consta o escrito ''Projeto de Vida e Protagonismo Juvenil''

Nossa primeira roda de conversa online demonstrou, por meio do depoimento de uma adolescente protagonista engajada com causas sociais, a importância da escola para a formação integral de estudantes. Ao longo da conversa, nossas convidadas deram dicas de como iniciar essa cultura na escola, tendo as famílias como aliadas nesse processo. Também ficou clara a importância dessa mudança paradigmática na educação para o desenvolvimento de competências importantes para o futuro dos jovens e adolescentes.

O que é um adolescente protagonista

A protagonista e ativista social Marina Cunico, de 14 anos, contou um pouco sobre suas ações e projetos sociais que realiza desde os 5 anos de idade e o que tem feito no contexto da pandemia do coronavírus. Ela mobilizou voluntários e contribuições para auxiliar famílias em situação de vulnerabilidade, especialmente impactadas pela situação. E é sobre isso que trata o Protagonismo: a satisfação em fazer, empreender para a vida, ser perseverante e enfrentar problemas reais.

A pedagoga e educadora Ayone Sossai iniciou dizendo que, com toda a correria dos afazeres escolares, acabamos por não escutar os jovens, e essa prática pode ser muito inspiradora. ”Quando a gente fala de Protagonismo, a gente precisa envolver esse jovem como solução de partes do problema. E o primeiro lugar que ele tem a oportunidade de fazer isso é dentro da escola. É participar das soluções pelo olhar dele”, diz a especialista.

Assista à gravação da nossa conversa online sobre Protagonismo Juvenil e Projeto de Vida. Que tal compartilhar com os educadores da sua escola?

O desenvolvimento protagonista

À medida que os estudantes participam e dão luz aos desafios da escola a partir de sua ótica, é que, aos poucos, irão se desenvolver. Ayone ressaltou que é a partir desse processo contínuo que os jovens poderão progredir para uma atuação protagonista autêntica, como é o caso da Marina. As competências mobilizadas em torno do desenvolvimento protagonista foram citadas ao longo da conversa:

  • autonomia e responsabilização;
  • tomadas de decisão e planejamento;
  • consciência social;
  • lidar com as emoções;
  • ética e transparência;
  • criatividade;
  • autoconhecimento e motivação;
  • oratória e mobilização de pessoas;
  • autoestima e autocuidado;
  • habilidades de comunicação;
  • capacidade de adaptação;
  • dentre muitas outras.

Foi discutido ainda sobre a necessidade da escola ser mais responsiva às transformações do mundo. Vivemos em um contexto de imprevisibilidades, incertezas e mudanças cadas vez mais rápidas, nos sendo exigidas habilidades e competências que não são aprendidas apenas nos livros. Falamos, sobretudo, de competências que envolvem ativamente as relações humanas. O papel do educador nisso tudo é muito importante e ele precisa, antes de mais nada, compreender que uma outra abordagem pedagógica é urgente, pois trata-se de uma mudança paradigmática e processual.

Cultura do Protagonismo na escola

A educadora Ayone, que acredita no Projeto de Vida do aluno como elemento central de sua prática pedagógica, ressaltou a importância e o papel que a escola tem no desenvolvimento de crianças e jovens na construção de seus Projetos de Vida. Para iniciar essa abordagem, é básico que o aluno se sinta protagonista de sua própria história – capaz de se conhecer, sonhar, projetar o futuro e realizar.

Como formadora de professores, Ayone reconhece que trata-se de uma ”mudança de chave” na mentalidade do educador. ”É um desafio muito grande, com muita leitura, formação e conversa para entender e fazer com que esse profissional consiga ver desse outro ângulo. Precisa-se mudar essa posição do professor [de detentor do saber], que é delicada e não é fácil (…) e compartilhar com os estudantes… E o principal: ouvi-los também”.

As 3 referências para começar os estudos sobre Protagonismo Juvenil e Projeto de Vida indicados foram: Antônio Carlos Gomes da Costa, a própria BNCC e John Dewey

Apoio familiar no Protagonismo Juvenil

O mediador da conversa, Gilber, trouxe um ponto importante: o desenvolvimento da autonomia do adolescente não é liberdade irrestrita. Por tratar-se de indivíduos em plena fase de desenvolvimento, a família também é chave para impor limites e reforçar o trabalho da escola. ”A construção do indivíduo protagonista faz com que você pare e passe a reconhecer o quanto você precisa respeitar esse protagonista. (…) Tem hora que você tem, de verdade, que segurar, limitar um pouquinho. A família é o balizador”, explica Fabiana – mãe de Marina.

Ayone complementou dizendo que o apoio familiar é fundamental para trabalhar o equilíbrio emocional, os compromissos, as responsabilidades e as expectativas que recaem sobre um adolescente protagonista. Fabiana entrou em cena explicando como ela, na prática, estimula e incentiva a filha nessa jornada, apesar da rotina atarefada que possui. Ela e a filha ressaltaram o incentivo e compreensão da escola em relação aos projetos sociais da protagonista. ”Uma coisa que é um diferencial para o aluno, é quando a escola o apoia nos seus projetos”, disse a ativista juvenil. A mãe disse ainda que as ações protagonistas da filha a auxiliam a ter mais clareza e ter as atitudes necessárias para concretizar seus objetivos de vida, a preparando para o futuro.

Sem o respaldo familiar, é ainda mais desafiador o processo de desenvolver alunos protagonistas. Por isso, Ayone reiterou a importância de promover espaços de discussão e compartilhamento, envolvendo a compreensão e alinhamento desses conceitos dentre os funcionários da escola, familiares, responsáveis e apoiadores da comunidade escolar. Por tratar-se de uma mudança que permeia um choque entre gerações e contextos de mundo diferentes, é papel dos educadores demonstrar domínio sobre a importância e benefícios dessa abordagem para a preparação de cidadãos para o século XXI: solidários, produtivos e autônomos. 

Ícone do projeto de Vida: um balão pensativo com um calendário à frente
ícone que representa o socioemocional - um cérebro ao lado do coração

Como fazer

A pedagoga também instigou a audiência quando disse que não existe mágica para desenvolver alunos protagonistas. Como qualquer outra transformação estruturante e cultural, o estímulo à prática do Protagonismo dos alunos é algo processual e envolve o esforço coletivo e contínuo da comunidade escolar. O modo de fazer é bastante particular e minucioso, e há que considerar a subjetividade dos estudantes na construção de seus Projetos de Vida.

Apesar da BNCC trazer caminhos e possibilidades, também há o desafio de considerar cada estudante como um ser humano único e cheio de especificidades: ”valorizar e escutar cada estudante, entender e incentivá-lo é o mais importante”, ressaltou Ayone. Para fazer isso, antes de qualquer coisa, há que se ter um alinhamento sobre a compreensão do que é o protagonista e o que ele precisa desenvolver. Não existe uma forma certa ou atividades específicas que irão tornar o aluno protagonista, mas há que se considerar a intencionalidade pedagógica da prática e o desenvolvimento de valores e competências para o século 21 – incluindo as chamadas socioemocionais.

Em um primeiro momento, esse estímulo pode ser realizado com ações pontuais e em formatos diversos como oficinas, projetos, feiras e afins. No entanto, para que a educação seja, de fato, transformadora, é necessário pensar em uma realidade curricular que abrange o protagonismo dos estudantes em todos os componentes curriculares de forma estruturada. Dessa forma, será possível criar as condições necessárias para ter o desenvolvimento do Projeto de Vida como eixo central da escola, conforme normatiza a BNCC.                                                                                                                                                                            

Imagem que apresenta a metodologia do Programa de Protagonimso Juvenil da KUAU
Programa completo com objetivos de aprendizagem focados no desenvolvimento do Protagonismo Juvenil dos estudantes do Ensino Fundamental II.

Comentamos também sobre a importância de fazer do Protagonismo uma jornada de aprendizagem  estruturada e intencional. Por isso, também apresentamos brevemente o Programa de Protagonismo KUALA, que fornece material completo para educadores e atividades presenciais e digitais para os estudantes se desenvolverem protagonistas da própria história.

Agende uma apresentação conosco
contato@kuau.com.br

Para acompanhar as nossas próximas rodas de conversa online, inscreva-se em nossa newsletter logo abaixo:

Inscreva-se em nossa newsletter




1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *