Educação socioemocional na Escola

Socioemocional:

saiba como sair da teoria à prática

Hoje em dia, o papel da escola vai muito além de passar um conteúdo acadêmico tradicional. Tanto o ambiente escolar como o familiar, contribuem para a formação das crianças e jovens para a vida adulta e profissional. Em meio a este cenário moderno de educação, a importância do socioemocional se faz cada vez cada vez mais presente.

Logo, a partir da BNCC, o desenvolvimento de competências socioemocionais passa a ser parte do currículo obrigatório em todas as escolas do país.

Nos próximos parágrafos, vamos responder a algumas questões sobre o socioemocional, partindo do conceito e indo até a prática na escola.

Menu

O que é socioemocional?

No contexto escolar, o termo “socioemocional” abrange o processo formativo e integrado que considera aspectos sociais e emocionais dos alunos na aprendizagem de diferentes habilidades. Com foco na educação integral, temos atualmente cinco competências socioemocionais básicas obrigatórias pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 

Em suma, é a promoção de um projeto de acompanhamento curricular tradicional em conjunto com o desenvolvimento proposital de inteligência emocional e habilidades socioemocionais.

Competências ou habilidades socioemocionais?

Mas qual a diferença entre habilidades e competências socioemocionais? Os termos são complementares assim como a prática! Ser competente é ter a capacidade de realizar algo útil, intrinsecamente ligado ao conhecimento (saber), habilidade (fazer), julgamento (analisar) e atitude (fazer acontecer). 

Para ficar mais claro, na prática podemos ver as diferenças entre competências e habilidades no edital do Enem: competência é uma categoria abrangente na qual os jovens têm que comprovar estarem aptos em várias habilidades por meio de testes.

Agora que está claro o que é competência socioemocional, vale perguntar: quais são as competências exigidas e como elas são trabalhadas na prática?

Quais são as competências socioemocionais? 

A primeira competência, a partir da qual todas as outras se desenvolvem, é a Autoconsciência. Muito mais do que conhecer suas capacidades e limitações, está ligada ao mindset que cada aluno pode construir para si mesmo, formas de se manter em foco, positivo e resiliente a cada desafio.

O que nos leva à nossa segunda competência, a Autogestão. Gerenciar as emoções, para um adolescente, pode não ser uma tarefa fácil! Por isso, é importante que o jovem perceba a autonomia e os resultados de manter disciplina e foco no objetivo que a autogestão proporciona.

Consciência social é a ponte que conecta autoconsciência e autogestão às duas seguintes: Habilidade de relacionamento e Tomada de decisões responsável.


A BNCC define resumidamente as cinco competências da seguinte forma:

habilidades-socioemocionais

Leia mais: BNCC e as competências socioemocionais

Como trabalhar as competências socioemocionais na prática?

Um ponto importante para você, educador, levar em conta em todas as atividades é o  contexto de cada aluno. Esteja você em sala de aula ou compondo parte da comunidade escolar.

 Isso não é uma tarefa fácil!  Por isso, a Kuau propõe atividades mão na massa, que compõem parte de um programa completo sobre projeto de vida e socioemocional integrados. 

 Atividades socioemocionais

Mãos à obra!

Mapa da empatia

Agir com empatia é o primeiro passo para poder ensinar. Para facilitar a tarefa de agir com empatia enquanto parte da comunidade escolar, você pode usar a ferramenta Mapa da Empatia. E a partir de uma observação geral, entender cada um de seus alunos.

Separei uma aula completa de como fazer o mapa da empatia na sua escola. Todo o material para fazer o seu mapa, assim como tudo o que você precisa saber para começar está aqui:

Baixe o E-book Mapa da empatia.

Educação Positiva

Fomentar a educação positiva é um dos pilares que move o desenvolvimento socioemocional. Isso não significa ser positivo o tempo todo, sem realismo. Mas sim, exercitar habilidades de relacionamento e autoconsciência por métodos que envolvem toda a comunidade escolar.

O objetivo principal da prática é proporcionar, através do otimismo, momentos de socialização e educação socioemocional.

Além de ser uma maneira de manter a proximidade independente de distanciamentos físicos, na oficina da educação positiva você aprende e vê exemplos de como colocar em prática. Você pode baixar o material e começar a praticar hoje mesmo!

Baixe o E-book  Educação Positiva

O desenvolvimento socioemocional não vem desacompanhado. É integrado ao eixo pedagógico de Projeto de vida. Para saber sobre mais atividades e entender como isso funciona:

Baixe o E-book Projeto de vida na escola

Como ocorre a aprendizagem socioemocional?

Certo, sabemos que algumas práticas levam ao desenvolvimento socioemocional dos alunos, mas como ocorre a aprendizagem dentro desse processo? 

Nenhuma competência consegue ser desenvolvida isoladamente, tampouco é um processo pontual. Por meio de exercícios, interações e comunicação, o jovem passa a ter sua autonomia  para desenvolver essas competências.

  Vale lembrar que a família  e a escola são peças importantes deste quebra cabeça, porém, somente o aluno sendo protagonista de suas escolhas, exercendo o autoconhecimento e autogestão constantemente, consegue desenvolver outras competências socioemocionais.

Leia mais:A motivação dos alunos

Inscreva-se em nossa newsletter




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.